Sociedade

GNR e PSP já mobilizaram quase 50 elementos para combater greve de camionistas

Forças de segurança asseguraram transporte de combustível

A PSP e GNR asseguraram, esta segunda e terça-feira, o transporte de combustível em 28 camiões-cisterna devido à greve dos motoristas de matérias perigosas.

"Na sequência da situação de alerta declarada pelo ministro da Administração Interna, foram assegurados pela Guarda Nacional Republicana [GNR] e pela Polícia de Segurança Pública [PSP], entre os dias 12 e 13 de agosto, transportes de combustível em 28 veículos pesados de transporte de mercadorias perigosas", refere um comunicado do ministério da Administração Interna desta quarta-feira.

Este transporte teve como destino as regiões de Lisboa, Faro, Setúbal, Sintra, Beja e Algarve e envolveu 49 elementos das forças de segurança.

Recorde-se que naquele que é o terceiro dia da paralisação dos motoristas, Pedro Pardal Henriques, advogado do Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP), garantiu que os motoristas não iam cumprir a requisição civil e iam falhar o cumprimento dos serviços mínimos.

Esta garantia chegou depois de o Governo informar na terça-feira que 14 trabalhadores não haviam cumprido a requisição civil, sendo que foi enviada a devida notificação a 11 trabalhadores.

No entanto, apesar das declarações de Pedro Pardal Henriques, os camiões continuam a sair de Aveiras de Cima e, em Sines, os serviços mínimos estão a ser cumpridos.