Internacional

Morreu a tartaruga mais velha de África aos 344 anos

Tartaruga vivia com um rei, mas era ela a verdadeira rainha.

Morreu, esta quinta-feira, vítima de doença súbita, a tartaruga gigante mais velha em África, aos 344 anos.

Alagba, que significa “o mais velho”, vivia na Nigéria, no palácio do rei tradicional da cidade de Ogbomoso, Oba Jimoh Oyewunmi.

"Alagba viveu no palácio durante séculos. A tartaruga recebeu muitos monarcas em Ogbomoso, no passado", disse Toyin Ajamu, secretário particular do rei tradicional, em declarações à imprensa local.

A tartaruga, do sexo masculino, tornou-se conhecida pela forma como era tratada. O rei tradicional "utilizava os seus recursos pessoais para lhe dar bem-estar", como são exemplo os “dois funcionários do palácio” inteiramente dedicados ao animal.

"Todos os dias, Alagba recebia turistas que a visitavam, de diferentes partes do mundo", acrescentou o responsável, anunciando ainda que há planos para preservar o seu corpo para que os turistas continuem a poder desfrutar da sua presença.