Sociedade

DIAP revela como funcionária da TAP trazia imigrantes ilegais para a Europa

A mulher foi detida depois de quatro passageiros, dois adultos e dois menores, terem sido abordados pelo SEF à chegada ao aeroporto de Lisboa.

O DIAP divulgou, numa nota publicada na página da Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa, a forma como a funcionária da TAP detida esta segunda-feira por suspeitas de tráfico humano atuava. Segundo os indícios recolhidos, a funcionária da companhia aérea colocava em prática “com regularidade” um esquema que “facilitava a entrada e permanência de cidadãos estrangeiros, que não reúnem as devidas condições, no espaço europeu, fazendo-os transitar por diversos locais, incluindo Portugal”.

A arguida comprava passagens aéreas para um destino que não exigisse visto de entrada, com escala em Lisboa. Deste modo, os passageiros podiam sair do avião e apresentar-se às autoridades sem documentos, pedindo, desta forma, asilo.

A mulher, de nacionalidade estrangeira, está indiciada pela prática de quatro crimes de auxílio à imigração ilegal e um crime de associação de auxílio à imigração ilegal.