Internacional

Funcionária mantinha relações sexuais com aluno de 16 anos para que este não se "tornasse homossexual"

Tedria Fluellen trabalhava naquela escola há dois anos como assistente de um professor.

Uma funcionária de uma escola, no estado norte-americano do Texas, é acusada de vários crimes de abuso sexual , depois de se ter envolvido, em várias ocasiões, com um estudante de 16 anos.

Tedria Fluellen, de 51 anos, funcionária na Worthing High School, começou a abusar do jovem em 2018. De acordo com a imprensa norte-americana, a mulher conheceu a vítima na escola e ambos frequentavam a mesma igreja.

Às autoridades, a vítima disse que foi várias vezes a casa da mulher para tratar de recados ou ajudá-la a retirar coisas de um armazém que a agressora tinha.

A mulher é acusada de abusar sexualmente da vítima na sua casa, no referido armazém e também no seu carro no estacionamento da escola.

“Tu não precisas de ser homossexual”. Foi o que Tedria Fluellen disse ao jovem antes de iniciar os abusos. A vítima revelou ainda que a mulher lhe enviava várias mensagens de texto sexuais e que o tratava por “meu amor secreto”.

A suspeita confessou ter mantido relações sexuais com o estudante e alegou que o tinha feito porque havia outro aluno que o estava “a tentar tornar gay”, e que isso não era “estilo de vida” para ele.

O estudante contou ainda um episódio em que a mulher o terá drogado com uma bebida e revelou que esta lhe ofereceu um telemóvel no seu aniversário. Terá sido a avó da vítima a descobrir as mensagens da mulher e a apresentar queixa à polícia.

Tedria Fluellen trabalhava naquela escola há dois anos como assistente de um professor.  A mulher está detida sob uma custódia de 40 mil dólares, mais de 36 mil euros.