Politica

André Ventura acusa partidos de colocarem em risco “um dos maiores tesouros da democracia”

Em causa está uma medida que visava garantir o “pluralismo de informação e de difusão cultura”, chumbada com votos contra do PS, PSD, PCP, PEV e Iniciativa Liberal.

André Ventura lamentou, esta quarta-feira, que uma das propostas de alteração ao Orçamento do Estado tenham sido chumbada com votos contra do PS, PSD, PCP, PEV e Iniciativa Liberal, que, com esta decisão, “colocam em risco a garantia de pluralismo de informação e de difusão cultural”, que o líder do partido considera ser um dos “maiores tesouros da democracia”.

A medida em questão propunha que toda a rede de escolas secundárias, bibliotecas nacionais e prisões fossem obrigadas a subscrever uma versão imprensa dos principais jornais generalistas com tiragem igual ou superior a cinco mil exemplares, assim como a subscrição de um dos jornais digitais.

Em declarações ao SOL, André Ventura reforça que este não é um gasto desnecessário.“Talvez os partidos que chumbaram a proposta do CHEGA acreditem, erroneamente, que se trata de um gasto supérfluo, mas estão enganados”, afirma, sublinhando que esta subscrição seria um custo que “não só contribuiria para apoiar a pluralidade da informação e, assim, a democracia, como também contribuiria para cultivar os hábitos de leitura dos portugueses”.

O líder do Chega sublinha ainda que os partidos responsáveis pelo chumbo desta proposta estão a recusar aceder ao apelo de Marcelo Rebelo de Sousa, que, segundo André Ventura "já alertou, e bem, para a crise que existe na comunicação social, tendo dito, inclusive, que uma 'comunicação social em crise é uma democracia em crise'".