Politica

Coronavírus: Marcelo aconselha a não "entrar em alarmismos"

O chefe de Estado defende que não devemos entrar em alarmismos e que “é um fenómeno que era expectável”.

Marcelo Rebelo de Sousa defendeu, esta segunda-feira, que “não se deve entrar em alarmismos”, depois da ministra da Saúde, Marta Temido, confirmar a existência de dois casos positivos do novo coronavírus em Portugal.

“Isto é a chamada notícia esperada há muito tempo, com tantos países nomeadamente na Europa a terem casos positivos, era de estranhar que não houvesse nenhum caso positivo em Portugal", começou por dizer o presidente da República, em declarações aos jornalistas.

"E estes dois que estão confirmados têm uma origem fora do território português, o que é uma vantagem. E felizmente, um e outro deram-se conta da sua situação e, portanto, limitaram os efeitos de um eventual contágio, na medida do possível", acrescentou.

O chefe de Estado defende que não devemos entrar em alarmismos e que “é um fenómeno que era expectável”.

"Acho que não se deve entrar em alarmismos. Isto é um fenómeno que era expetável. Passaram seis semana e o que era estranho era, havendo em países vizinhos próximos, que não houvesse nenhum caso em Portugal", afirmou.

 "Vamos acompanhar serenamente a evolução", rematou.

Recorde-se que A ministra da Saúde, Marta Temido, confirmou, esta segunda-feira, que foi registado o primeiro caso de coronavírus em Portugal e que um segundo caso, que deu positvo, aguarda validação do Instituto Nacional Ricardo Jorge.