Politica

“No futuro imediato impõe-se manter as medidas de contenção”, diz Marcelo

A decisão de manter por mais 15 dias o estado de emergência deverá ser tomada até ao final do dia de amanhã.

O Presidente da República ouviu os especialistas sobre o combate à epidemia da covid-19 e a conclusão é de que se impõe manter as medidas de contenção, contempladas no decreto do estado de emergência.

"No futuro imediato impõe-se manter as medidas de contenção”, afirmou Marcelo Rebelo de Sousa.

"Este passo foi importante e vai ao encontro do que já tinha dito o primeiro-ministro" , frisou o chefe de Estado, após o encontro no Infarmed para avaliar a situação epidemiologica da covid-19.

Marcelo Rebelo de Sousa não quis adiantar se um novo decreto de estado de emergência vai apertar as regras de circulação dos portugueses. Antes, assinalou que os valores (de casos confirmados de covid -19) podem “vir a ser menos de metade”, face a primeira fase de análise dos números.

O Presidente da República assinalou, que a confirmar-se esta tendência, é fruto do encerramento das escolas e das medidas já implementadas.

Para já, no próximo dia 7 haverá uma nova reunião com especialistas e a reabertura de escolas deverá ser avaliada.

Para já Marcelo realçou que a “conquista dos portugueses não pode ser perdida”, aludindo ao decreto de estado de emergência em vigor.

A decisão de manter por mais 15 dias o estado de emergência deverá ser tomada até ao final do dia de amanhã. Quinta-feira há um plenário marcado no Parlamento. Que pode servir para deliberar sobre um novo período do estado de emergência.