Politica

Marcelo lamenta morte de José Cutileiro: "Um magnífico diplomata"

Para o chefe de Estado, José Cutileiro "fez dos melhores comentários de política internacional, durante muitas décadas".

Marcelo Rebelo de Sousa lamentou este domingo a morte do embaixador José Cutileiro. O Presidente da República recordou o escritor como "um magnífico diplomata, um homem da cultura" e também "um grande cronista" que marcou gerações.

"Foi, além de um magnífico diplomata, um homem da cultura. Um homem muito inteligente, que escrevia muitíssimo bem, um grande ensaísta, um grande colunista, um grande comentarista, e depois também um grande cronista no sentido de contar a sua vida e a vida dos outros e analisar de forma às vezes impiedosa, mas de forma muito lúcida, muito inteligente a vida nacional", elogiou Marcelo, à margem de uma visita na Ericeira, admitindo ainda que conhecia José Cutileiro “muito bem”, quando "era responsável num órgão de informação onde ele foi um colunista constante".

Para o chefe de Estado, José Cutileiro "fez dos melhores comentários de política internacional, durante muitas décadas".

"Portanto, reconhecemos o seu talento no que escrevia, na forma como escrevia, na maneira como via o mundo, como via a Europa, como via Portugal e o papel de Portugal. Marcou várias gerações, fica aqui o meu testemunho de amizade e de agradecimento", disse ainda.

Recorde-se que o embaixador José Cutileiro morreu, este domingo, aos 85 anos, em Bruxelas, onde vivia.