Sociedade

Pedrógão Grande. MP quer abrir inquérito contra Valdemar Alves

Tribunal da Relação de Coimbra decidiu não levar o presidente da câmara a julgamento.

O Ministério Público (MP) tem a intenção de abrir um inquérito contra o presidente da Câmara de Pedrógão Grande, Valdemar Alves, na sequência da decisão do Tribunal da Relação de Coimbra que decidiu não levar o autarca a julgamento no processo sobre as responsabilidades do incêndios de junho de 2017 em Pedrógão Grande - que matou 66 pessoas, feriu 253 e destruiu centenas de casas e empresas. “O MP decidiu promover a extração de certidão, com vista à instauração, oportunamente, de inquérito criminal com esse objeto”, revelou ontem a Procuradoria-Geral Regional de Coimbra.

No entanto, tanto o autarca como o Ministério Público, recorde-se, tinham apresentado recurso em setembro de 2019 para que Valdemar Alves não fosse a julgamento neste processo - pedido feito na fase de instrução também por uma assistente familiar de vítimas do incêndio.

“Esta posição foi assumida por se entender, por um lado, que a instrução que havia sido requerida por uma assistente era legalmente inadmissível. Este recurso do MP foi interposto, como resulta claro da leitura do mesmo, ‘por razões de legalidade estrita’. Não se tratou de um recurso por inexistência de indícios suficientes da responsabilidade criminal imputada ao arguido Valdemar Alves”, esclareceu o MP.

Já o antigo vice-presidente da Câmara, José Graça, vai a julgamento, “por coordenar a atividade desenvolvida por trabalhadores municipais, tendo por objeto a gestão de combustíveis”. O mesmo não acontece com o comandante distrital de operações de socorro de Leiria à data dos factos, Sérgio Gomes, bem como com o segundo comandante distrital, Mário Cerol, que não vão ser julgados, depois de terem sido acusados pelo MP mas retirados do processo na fase de instrução.

De forma a apurar responsabilidades, vão a julgamento, além de José Graça, os presidentes dos municípios de Castanheira de Pera e de Figueiró dos Vinhos, Fernando Lopes e Jorge Abreu - que se mantém no cargo -, respetivamente; a engenheira florestal do município Margarida Gonçalves; o comandante dos Bombeiros Voluntários de Pedrógão Grande, Augusto Arnaut; o subdiretor da área comercial da EDP, José Geria, e o subdiretor da área de manutenção do Centro da mesma empresa, Casimiro Pedro; e ainda três responsáveis com cargos na Ascendi Pinhal Interior: José Revés, António Berardinelli e Rogério Mota.