Politica

Portugal fora do corredor turístico britânico? Governo reage e diz que decisão é "errada" e "injusta"

Santos Silva disse que é "absurdo" um país com “piores indicadores em matéria de pandemia” impor quarentena aos passageiros de um país com “melhores indicadores” e pede que a decisão seja corrigida pelo governo britânico.

O Governo português já reagiu à decisão do Reino Unido de excluir Portugal dos “corredores de viagem internacionais”. O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, disse que se trata de um "absurdo" e que a decisão causa “muito desapontamento”.

Em declarações à agência Lusa, Santos Silva garantiu que as autoridades portuguesas não irão tomar qualquer atitude de reciprocidade em relação aos britânicos que residem em Portugal - mais de 35.000. No entanto, disse esperar que o Reino Unido "corrija uma decisão” que é “errada”, “rapidamente”.

Mais tarde, em declarações aos jornalistas, o governante voltou a classificar a decisão de “errada” e “injusta” e admitiu que a mesma “surpreendeu” o Governo. Santos Silva disse ainda que é "absurdo" um país com “piores indicadores em matéria de pandemia” impor quarentena aos passageiros de um país com “melhores indicadores”.

Recorde-se que Portugal está fora da lista de países com corredor turístico com o Reino Unido. Esta medida fará com que os turistas britânicos que se desloquem a Portugal tenham de cumprir uma quarentena obrigatória de 14 dias ao regressarem ao país. A lista dos países e territórios excluídos da quarentena obrigatória de 14 dias foi publicada esta sexta-feira pelo Governo de Boris Johnson.