Politica

Costa conversou com homóloga dinamarquesa e pediu "espírito aberto" para a próxima reunião do Conselho Europeu

De realçar que Mette Frederiksen tem-se mostrado contra as propostas da Comissão Europeia para a criação de um fundo de recuperação de 750 mil milhões de euros e Quadro Financeiro Plurianual (2021/2027).

O primeiro-ministro, António Costa, conversou, esta sexta-feira, com a sua homóloga dinamarquesa, Mette Frederiksen.

Através do Twitter, o primeiro-ministro destacou a importância do diálogo para”construir pontes” e entrar de “espírito aberto” na próxima reunião do Conselho Europeu, dias 17 e 18 em Bruxelas, para que haja um acordo.

"Conversa amigável com primeira-ministra da Dinamarca, Mette Frederiksen, importante para compreendermos os nossos pontos de vista. Devemos dialogar mais para construir pontes e entrar no Conselho Europeu de 17 e 18 de julho com espírito aberto para um acordo", escreveu Costa naquela rede social.

De realçar que Mette Frederiksen tem-se mostrado contra as propostas da Comissão Europeia para a criação de um fundo de recuperação de 750 mil milhões de euros e Quadro Financeiro Plurianual (2021/2027). Na próxima segunda-feira, Costa desloca-se a Haia para se encontrar com o chefe do Governo holandês Mark Rutte, que também tem manifestado oposição às propostas da Comissão Europeia, à semelhança da Áustria e da Suécia.

De forma a ultrapassar as divergências que tem existido entre os Estados-membros da UE e os países contribuintes líquidos, o presidente do Conselho Europeu apresentou esta sexta-feira em Bruxelas uma proposta revista do plano de recuperação. Esta proposta reduz o orçamento plurianual para 1,07 biliões de euros, mas mantém o Fundo de Recuperação nos 750 mil milhões.