Politica

50 anos após morte. Extrema direita promove homenagem a Salazar com romagem e missa

A deposição de uma coroa de flores no cemitério do Vimieiro e uma missa na Igreja Matriz de Santa Comba Dão integram o programa das celebrações, agendadas para o próximo domingo, dia 26.

O anúncio (disponível na galeria) circula nas redes sociais nos últimos dias e dá conta da homenagem promovida pela Associação de História do Estado Novo (ASHENO, criada em 2016) para assinalar a passagem do 50.º aniversário sobre a morte de Salazar, a 27 de julho de 1970. 

A deposição de uma coroa de flores no cemitério do Vimieiro e uma missa na Igreja Matriz de Santa Comba Dão integram o programa das celebrações, agendadas para o próximo domingo, dia 26, véspera do dia em que se completará meio século sobre a morte de Salazar.

Segundo o panfleto promocional, as celebrações, que ficarão registadas numa medalha comemorativa, terminam com um almoço seguido de conferência, que terá como palestrante o tenente coronel Brandão Ferreira, numa intervenção intitulada Salazar – O Estadista.