Politica

António Costa diz que incêndio que aconteceu em Santo Tirso foi "massacre chocante"

O primeiro-ministro acrescentou que a Direção-Geral de Veterinária (DGAV) não tem revelado competência a proteção dos animais de companhia.

O primeiro-ministro considerou, esta sexta-feira, que o incêndio em Santo Tirso que provocou a morte a mais de 70 animais que se encontravam em canis ilegais,  foi um "massacre cocante". "É absolutamente intolerável o que aconteceu", defendeu Costa, quando questionado sobre a situação por André Silva.

Apesar de ter afirmado que iria aguradr pelo resultado do inquérito aberto plea Inspeção Geral da Administração Interna, o chefe de Governo afirmou que a Direção-Geral de Veterinária (DGAV) não tem revelado competência a proteção dos animais de companhia.

"Quanto à organica do Estado: temos de repensar, porque a Direção Geral de Veterinária não está feita para cuidar de animais de estimação e manifestamente não tem revelado capacidade ou competência de se ajustar à nova realidade legislativa que temos", defendeu, acrescentando que era também necessário "fazer um esforço e ouvir os municípios".