Desporto

História e perfeição na final da luz

PSG garantiu pela primeira vez presença no jogo derradeiro da Champions. Bayern com percurso imaculado na prova. Dois treinadores alemães à procura da glória em Lisboa.

 

O hino da Liga dos Campeões vai tocar pela última vez nesta época já este domingo, no Estádio da Luz, onde Bayern Munique e Paris Saint-Germain vão protagonizar o jogo derradeiro da prova milionária. Espera-se por isso uma final de luxo no encerramento desta inédita fase final, disputada em Lisboa desde os quartos de final. O clube francês já fez história em Portugal, tendo garantido pela primeira vez na sua história o passaporte para o encontro decisivo da principal prova da UEFA. Já o emblema alemão procura conquistar a sua sexta Champions, depois dos triunfos alcançados em 1974, 1975, 1976, 2001, 2013. O conjunto bávaro regista um percurso imaculado na competição, com 10 vitórias em 10 jogos, e um saldo incrível de 42 golos marcados contra apenas 8 sofridos. O octacampeão da Bundesliga foi ainda o responsável pela eliminação do Barcelona na prova, após goleada histórica por 8-2, na primeira eliminatória disputada na capital portuguesa, referente aos quartos. Entretanto, na meia-final derrotou o Lyon por 3-0, fazendo cair o último português ainda em prova, o guarda-redes Anthony Lopes. O guardião do clube da Ligue 1 despediu-se da prova, juntando-se aos restantes quatro jogadores lusos que não conseguiram cumprir o sonho de conquistar a Champions em casa. João Félix (Atlético de Madrid), Nélson Semedo (Barcelona), Bernardo Silva e JoãoCancelo (Manchester City), tinham caído nos quartos. 

Ainda antes de chegar a Portugal, o Bayern já vinha demonstrando a sua força, com resultado expressivo ante o Chelsea nos oitavos-de-final: triunfo por 7-1 no conjunto das duas mãos (4-1 no segundo jogo, disputado após a retoma do futebol depois dos três meses de paragem devido à pandemia de covid-19). Implacável já durante a fase de grupos, a formação treinada pelo alemão Hans-Dieter Flick venceu de forma categórica o agrupamento composto ainda por Tottenham, Olympiacos e Crvena Zvezda. Nesta fase, os alemães apontaram 24 golos, com destaque para as goleadas ante os spurs (7-2) e os sérvios (6-0).

Hans-Dieter Flick assumiu o comando técnico da equipa de Munique em novembro último, cerca de cinco meses depois de ter chegado ao clube para exercer as funções de treinador adjunto de Niko Kovac. Com um campeonato e a Taça da Alemanha já no currículo, o técnico procura o terceiro troféu ao serviço do Bayern. Além destes dois troféus, Flick conta com o título de campeão do Mundo pela seleção alemã em 2014, altura em que era adjunto de Joachim Löw. Nesse Mundial, a Alemanha bateu a Argentina de Messi na final (1-0), mas o jogo que fez correr mais tinta tinha acontecido imediatamente antes, quando os alemães arrasaram a seleção brasileira nas meias-finais (7-1).
Na Luz, o Bayern procura fechar com chave de ouro uma época até aqui sensacional. Na turma bávara, uma referência para o polaco Robert Lewandowski, que leva 15 golos em 9 jogos, e apresenta-se como o melhor marcador da prova. Gnabry surge como o segundo melhor marcador do campeão alemão, com 9 golos.

Do outro lado desta final, um PSG que quer fazer ainda mais história, ou seja conquistar a primeira Champions do clube. O emblema parisiense integra juntamente com o Atlético de Madrid, Tottenham, Manchester City ou Arsenal o lote dos principais clubes europeus que ainda não venceram a prova da UEFA. 

Neymar e companhia alcançaram a final depois de deixarem pelo caminho o RB Leipzig nas meias, após vitória por 3-0. Apesar do apuramento para a grande decisão ter sido conseguido de forma folgada, o principal susto tinha acontecido na fase anterior. Nos quartos de final, os comandados de Thomas Tuchel venceram a Atalanta com o golo da reviravolta a surgir apenas em tempo de compensação. Nos oitavos-de-final, o tricampeão da Ligue 1 havia derrotado o Borussia Dortmund, antiga equipa de Tuchel. 

O treinador alemão chegou ao clube da capital francesa no verão de 2018, tendo vencido até agora seis troféus: dois campeonatos, uma Taça, uma Taça da Liga e duas Supertaças francesas.

 

FC Porto no pote 1 

De notar que graças à final Bayern-PSG, o FCPorto assegura o estatuto de cabeça de série na próxima edição da Liga dos Campeões. No pote 1, a equipa de Sérgio Conceição evita os tubarões europeus na fase de grupos da prova de 2020/21, entre os quais PSG, Real Madrid, Bayern, Zenit, Liverpool ou Juventus.

 Recorde-se que o Benfica, segundo classificado da temporada transata da Liga portuguesa, terá que disputar duas fases (3.ª pré-eliminatória e play-off) para alcançar a fase final da Liga milionária. Aliás, é neste sentido que os encarnados já treinam a todo o gás sob orientação de Jorge Jesus.

A primeira pré-eliminatória está agendada para 15 ou 16 de setembro, com o campeonato português a arrancar no dia 20 do mesmo mês.

Na última época, os dragões sagraram-se campeões nacionais após terminaram a Liga com cinco pontos de vantagem para o clube da Luz. O FC Porto conquistou depois a dobradinha ao vencer ainda a Taça de Portugal, também sobre o Benfica.

Depois de uma época dececionante para as águias, Luís Filipe Vieira confirmou o regresso de Jesus ao comando técnico da equipa. O amadorense de 66 anos disse durante a sua apresentação que os adeptos encarnados podem esperar um novo Benfica, a jogar o triplo do que apresentou em 2019/20. Por enquanto, a pré-época dos encarnados tem dado que falar pela posição que o clube vem assumindo no mercado de transferências. Neste campo, o internacional uruguaio Edinson Cavani continua a ser a principal incógnita. Na segunda-feira, o jogador de 33 anos falou pela primeira vez sobre o interesse dos encarnados. "Estamos a falar com o Benfica, sim, isso é verdade, houve reuniões. Mas também houve com outras equipas também. Ainda não está definido, portanto não posso dizer nada. No dia em que chegue a um acordo com uma equipa vocês vão saber", revelou. Apesar de negar a existência de qualquer acordo, o jogador que terminou agora contrato com o PSG disse que ficaria "encantado" com a possibilidade de jogar no Benfica: "Se gostava? O Benfica é uma grande equipa, que está sempre na Champions. Muitos uruguaios já passaram por lá, como é que eu poderia não me sentir atraído? Se for para lá, ficarei encantado".