Sociedade

Rui Pinto diz que Doyen pagou viagens a Luís Filipe Vieira entre Portugal e o Brasil

Em causa está um negócio entre a empresa imobiliária do presidente do clube das águias, a Promovalor, e a Odebrecht para a construção de um empreendimento de luxo em Recife, no Brasil.

Rui Pinto terá acusado Luís Filipe Vieira de corrupção num caso que envolve a Odebrecht, a empresa envolvida no escândalo Lava Jato. Segundo o jornal Público, em causa está uma parceria entre a empresa imobiliária do presidente do clube das águias, a Promovalor, e a Odebrecht para a construção de um empreendimento de luxo em Recife, no Brasil.

O criador do Luanda Leaks garante ter, segundo a mesma publicação, documentos que provam pagamento de subornos de forma a viabilizar o Reserva do Paiva, um investimento de 200 milhões de euros.

A Promovalor terá avançado com 120 milhões de euros, enquanto a construtora brasileira terá avançado com o restante.

Segundo o Observador, Rui Pinto já prestou declarações ao Ministério Público sobre o caso e o hacker garante ainda que no investimento esteve envolvido ainda o grupo Doyen, que teria oferecido viagens em jatos privados a Luís Filipe Vieira e ao filho.