Internacional

Coreia do Norte assassinou e queimou soldado sul-coreano, diz Seul

Governo sul-coreano acredita que os soldados norte-coreanos agiram na tentativa de impedir o contágio de coronavírus.


O governo de Seul lançou um comunicado a anunciar que um soldado sul-coreano foi abatido pelas forças norte-coreanas e, depois, regado com gasolina, acabando por incendiar o corpo do indivíduo. O homem, de 47 anos, segundo a Coreia do Sul, terá desaparecido na segunda-feira de um navio do Ministério do Mar e das Pescas sul-coreano que fiscalizava atividades de pesca ilegal a dez quilómetros da fronteira marítima entre os dois países.

As desertações da Coreia do Sul para a Coreia do Norte são muito raras, pois, normalmente, acaba por ser ao contrário. O soldado ter-se-á lançado ao mar apenas com um colete de salva-vidas e quando os colegas da tripulação deram pelo desaparecimento, no navio só encontraram os seus sapatos. O corpo do homem foi encontrado, segundo a Coreia do Sul, já em águas norte-coreanas. O homem terá sido encontrado pelas autoridades da Coreia do Norte, que estavam equipadas com fatos de proteção e máscaras.

O ministro da Defesa da Coreia do Sul acredita que se tratou de uma medida para impedir o contágio de covid-19, uma vez que a Coreia do Norte tem repetido várias vezes que até agora não registou qualquer caso de covid-19, o que tem sido olhado com desconfiança por parte de especialistas internacionais.

Até agora, Pyongyang não se pronunciou sobre o desaparecimento do soldado, apesar de a Coreia do Sul já ter pedido esclarecimentos na quarta-feira.