Sociedade

Covid-19. Portugal pode chegar aos 500 doentes em UCI esta semana

Doentes com covid-19 internados em hospitais podem chegar aos 3.902 até à próxima sexta-feira.


A Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares vai passar a publicar estimativas semanais sobre os recursos que se prevê que venham a ser necessários para dar resposta à pandemia na semana seguinte.O objetivo, explicou a associação, é contribuir para melhorar a resposta nacional à pandemia COVID-19 e promover o espírito de colaboração para melhorar a capacidade de previsão e de planeamento de recursos hospitalares. 

A primeira análise, divulgada este fim semana, prevê que até à próxima sexta-feira o número de doentes com covid-19 internados em hospitais possa situar-se entre os 2610 e os 3.902, cenários otimista e pessimista, dos quais 372 a 557 em cuidados intensivos.

A análise resulta das estimativas feitas através de uma ferramenta analítica desenvolvida pela associação e que foi adotada na primeira vaga da pandemia pela Organização Mundial de Saúde. Vai mais longe que as projeções habituais pois permite calcular que tipo de valências e recursos humanos serão previsivelmente necessários e por região, isto em função da evolução da situação epidemiológica, nomeadamente incidência e variações no RT (velocidade de transmissão), e do histórico de necessidades de saúde dos doentes infetados.

Durante esta semana, os administradores hospitalares preveem assim que a maior pressão continue a registar-se na região Norte, onde nas últimas semanas houve mais casos, seguindo-se a região de Lisboa. No Norte, o número de doentes internados num cenário mais otimista chegará a 1385, podendo alcançar os 2117 no cenário mais pessimista. O número de doentes em UCI poderá chegar aos mais de 300. Na região de Lisboa e Vale do Tejo, o número de doentes internados poderá ser no máximo de 1256, ainda menos de metade da pressão no Norte.

Com a capacidade em cuidados intensivos de cerca de 852 camas, a confirmar-se o aumento para o patamar dos 500 doentes covid em UCI durante a próxima semana, significaria que metade das camas de UCI do SNS poderiam ter de ser dedicadas a doentes infetados. Este sábado à meia-noite, os dados conhecidos ontem, estavam internados em UCI 278 doentes. Durante a semana, o secretário de Estado da Saúde António Lacerda Sales tinha indicado que havia nesta fase 273 camas de cuidados intensivos dedicadas à covid-19. Essa capacidade inicial foi assim ultrapassada, o que aliás nos últimos dias tem levado os hospitais, por exemplo o São João no Porto, a aumentar as camas de UCI reservadas a doentes com covid-19.

Face ao que se previa há duas semanas, quando os casos e os internamentos tiveram uma subida mais explosiva e a ministra da Saúde chegou a revelar projeções de 444 doentes internados em UCI a 4 de novembro, houve na última semana uma subida mais lenta da pressão nos hospitais. As unidades acabaram por ganhar uma semana para se organizarem, numa altura em que se prevê que os internamentos continuem a subir e essa marca deverá ser ultrapassada esta semana. A situação mais dramática viveu-se no Hospital de Penafiel, onde no final da semana foi possível transferir dezenas de doentes para outros hospitais, incluindo para o Hospital de Santa Maria em Lisboa, e também para hospitais privados. 

Analisando os dados da DGS divulgados este domingo, é possível concluir que nos últimos sete dias os doentes com covid-19 internados nos hospitais aumentaram 18%, quando na semana anterior a subida tinha sido de 34%. Houve assim um abrandamento. Mantendo-se este ritmo de crescimento, sem agravamentos ou melhorias, no próximo fim de semana o número de doentes internados nos hospitais chegaria perto dos 3000. Em termos de entradas em UCI, durante o fim de semana houve maiores necessidades de internamentos e semana acabou por ter uma subida maior do que na semana anterior. Matendo-se o crescimento dos últimos sete dias, no próximo domingo o número de doentes covid em UCI chegaria aos 500.