Internacional

Costa congratula Draghi e diz que "Itália é essencial para o sucesso da Europa"

António Costa felicitou Draghi numa publicação da rede social Twitter, “desejo as maiores felicidades a Mario Draghi. O sucesso da Itália é essencial para o sucesso da Europa". Mario Draghi vai substituir Giuseppe Conte no cargo de primeiro-ministro e fez o seu juramento hoje no Palácio Romano Quirinale.

Mario Draghi foi oficializado, este sábado, como o primeiro ministro de Itália pelo chefe de Estado, Sergio Mattarella, que atribuiu a Draghi a missão de formar governo depois de o cargo ter ficado disponível com a renuncia de Giuseppe Conte no final de janeiro.

António Costa felicitou Draghi numa publicação da rede social Twitter, “desejo as maiores felicidades a Mario Draghi. O sucesso da Itália é essencial para o sucesso da Europa. Portugal e Itália são países muito próximos. Trabalharemos juntos na construção de uma Europa com soluções solidárias e eficazes para os desafios que enfrentamos".

"Juro ser fiel à República, cumprir com lealdade a Constituição e as leis e exercer minhas funções em prol do interesse exclusivo da nação", declarou Mario Draghi hoje no Palácio Romano Quirinale.

O ex-presidente do Banco Central Europeu, de 73 anos, admitiu que só aceitou o convite de Mattarella depois de assegurar o apoio de quase todos os partidos com assento parlamentar em Itália. Draghi reuniu-se duas vezes com cada partido e conseguiu o apoio de todos, menos dos Irmãos de Itália (considerados extrema-direita), de Giorgia Meloni, que tem 19 dos 315 lugares no Senado e 33 dos 630 na Câmara dos Deputados.

É de realçar que Draghi vai substituir Giuseppe Conte, que renunciou ao cargo após o parceiro de coligação parlamentar, Matteo Renzi, do partido Viva ter abandonado o governo, deixando-o sem maioria absoluta no parlamento italiano.

A estreia de Mario Draghi como primeiro-ministro está marcada para dia 25 de fevereiro na cimeira virtual de dois dias da União Europeia convocado pelo Presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, para tratar de questões relacionadas com a pandemia da covid-19 e a política de defesa.