Internacional

Iraque proíbe reuniões religiosas devido à pandemia de covid-19 uma semana antes da visita do Papa ao país

As novas medidas, ainda sem data para entrar em vigor, foram anunciadas uma semana antes da primeira visita do Papa Francisco ao Iraque.


O governo iraquiano proibiu todas as reuniões religiosas e sociais, devido ao aumento de casos do novo coronavírus no país. A decisão, anunciada esta quinta-feira pela Secretaria-Geral do Conselho de Ministros, surge uma semana antes da visita do Papa Francisco.

O governo irá tomar "todas as medidas para proibir qualquer tipo de reunião, especialmente religiosa ou social, porque são uma das principais causas de contágio". Estas restrições são aplicadas às comunidades muçulmana xiita e sunita, assim como aos líderes religiosos, durante os próximas dias.

Uma das novas medidas aplicadas pelo Conselho de Ministros iraquiano implica também a proibição da circulação de cidadãos entre províncias, exceto em "casos humanitários". Os funcionários públicos também podem circular desde que as deslocações sejam "por assuntos de trabalho exclusivamente relacionados com os ministérios".

As novas medidas, ainda sem data para entrar em vigor, foram anunciadas uma semana antes da primeira visita do Papa Francisco ao Iraque.