Economia

Pedro Nuno Santos esclarece que não quer nacionalizar a Groundforce

“Não queremos ficar com a Groundforce”, afirmou o ministro das Infraestruturas, que tem a tutela da TAP.

O ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, garantiu, esta quinta-feira em conferência de imprensa, que a estratégia do Governo não passa por nacionalizar a Groundforce, mas deixou a ressalva que é preciso proteger a TAP.

“Não queremos ficar com a Groundforce”, sublinhou o governante, acrescentando: “Não está em causa querermos nacionalizar a companhia. Aquilo que nós queremos é criar soluções para que se paguem os salários dos trabalhadores da Groundforce sem estar a criar um problema maior à TAP".

O ministro fez questão de frisae que se tem feito “um trabalho importante para apoiar a Groundforce nos últimos meses", mas que "chegou um momento em que a TAP deixou de poder continuar a fazer adiantamentos sem ter garantias".

Sublinhe-se que a empresa de handling é detida pela Pasogal, de Alfredo Casimiro, que tem 50,1%, e pela TAP, que tem os restantes 49,9%.