Sociedade

Pedro Nuno Santos apresenta queixa-crime contra acionista da Groundforce

Em causa está a gravação e divulgação de uma conversa privada entre ambos durante as negociações do empréstimo da TAP à Groundforce.


O ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, apresentou uma queixa-crime contra o acionista privado da Groundforce Alfredo Casimiro. A notícia está a ser avançada pela RTP e pelo jornal ECO.

Em causa está a gravação e divulgação de uma conversa privada entre ambos durante as negociações do empréstimo da TAP à Groundforce, que estará a circular em grupos de conversação, afirma a RTP.

Fonte oficial do gabinete de Pedro Nuno Santos confirmou a informação. "O ministro das Infraestruturas e Habitação avançou com participação criminal junto do Ministério Público contra Alfredo Casimiro", afirmou, citada pelo ECO.

Segundo a mesma publicação, a gravação tem pouco mais de dois minutos e terá ocorrido "durante uma das reuniões sobre a situação da empresa de handling". Na conversa "ouve-se [Alfredo] Casimiro a questionar o ministro sobre a injeção de dinheiro público na TAP e se o acionista privado, Humberto Pedrosa, está também a colocar capital na mesma proporção", e a resposta o ministro é "não", uma vez que o Governo ainda está a negociar com Bruxelas.

ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, apresentou uma queixa-crime contra o acionista da Grounforde, Alfredo Casimiro, avança a RTP3.

 

Em causa, diz a televisão pública, está a divulgação pública de uma conversa entre ambos que estará a circular em grupos de WhatsApp.

A dita conversa terá decorrido durante uma reunião entre os dois para discutir o futuro da Groundforce que, recorde-se, tem 2.400 trabalhadores com salários em atraso.

A gravação, que agora gerou a queixa-crime de Pedro Nuno Santos, terá sido feita sem o consentimento do ministro.

A esta informação, o jornal online ECO, acrescenta que a gravação da dita conversa privada, tem a duração de poucos mais de dois minutos, e terá ocorrido "durante uma das reuniões sobre a situação da empresa de handling".

“O ministro das Infraestruturas e Habitação avançou com participação criminal junto do Ministério Público contra Alfredo Casimiro”, revelou fonte oficial do ministério ao mesmo jornal, quando questionada sobre a gravação.