Politica

Marcelo: É muito provável que haja estado de emergência até maio

Chefe de Estado já recebeu as duas doses da vacina contra a covid-19.

O Presidente da República afirmou, esta segunda-feira, que é “muito natural que haja estado de emergência até maio”. Em declarações aos jornalistas, à margem de uma visita à escola Básica Silva Porto, em Benfica, Marcelo Rebelo de Sousa sublinhou: “Havendo um plano de desconfinamento até maio quer dizer que há atividades confinadas parcialmente até maio”.

O chefe de Estado lembrou que “amanhã de manhã haverá uma sessão epidemiológica de manhã” e que à tarde, e no dia seguinte, receberá os partidos.

“Depois de amanhã enviarei ao Governo para parecer um decreto que será sensivelmente igual ao anterior, depois debatido e votado na Assembleia da República, decretarei a renovação do estado de emergência e falarei depois ao país”, revelou.

O Presidente da República sublinhou ainda que é essencial que "os portugueses percebam o passo que está a ser dado".

Marcelo Rebelo de Sousa confirmou também que já recebeu as duas doses da vacina da Pfizer contra a covid-19, tendo a segunda sido administrada há mais de duas semanas.

“Já levei as duas doses da vacina da Pfizer. Levei a segunda toma há quase três semanas”, disse, reconhecendo que o processo de vacinação na Europa tem tido falhas. “Não houve velocidade de produção e de entrega conforme contratualizado”

Sobre a suspensão da vacina da AstraZeneca, Marcelo Rebelo de Sousa defendeu que a “UE é uma união e deveria ter agido em bloco, em vez de cada país decidir por si”.

Apesar de ter evidenciado estes pontos menos positivos, o Presidente mantém-se otimista em relação ao plano de vacinação: “Esperamos chegar ao final de agosto ou ao início de setembro com grande parte da população imunizada".