Sociedade

Ana Gomes sobre Rui Pinto: Encontrei na prisão um jovem culto e bastante cândido

Para a ex-eurodeputada, que prestou depoimento em tribunal, o hacker prestou um “extraordinário serviço público” ao país e ao mundo.


A ex-eurodeputada Ana Gomes foi ouvida, esta quarta-feira, em tribunal, na qualidade de testemunha da defesa de Rui Pinto em mais uma sessão do julgamento do processo Football Leaks.

À saída do Campus da Justiça, Ana Gomes reiterou que Rui Pinto prestou um serviço público a Portugal e ao resto do mundo.

“Trouxe a público informações preciosas para as autoridades irem atrás da corrupção (…). Até hoje não sabemos quem é a fonte dos Panama Papers e ninguém duvida que foram da maior relevância para o interesse público. Rui Pinto prestou um extraordinário serviço público”, defendeu.

Pouco antes no tribunal, a ex-eurodeputada afirmou, no seu depoimento, que, quando visitou Rui Pinto na prisão, encontrou um jovem "culto" e "bastante cândido". "Fiquei muito impressionada", acrescentou.

A também ex-candidata presidencial visitou o hacker "quatro ou cinco vezes" e na primeira vez, encontrou-o "bastante revoltado com a sua situação" e "muito relutante em cooperar com a polícia", mas, a partir daí, a sua posição "foi evoluindo".

Sublinhe-se que Rui Pinto, que está a ser julgado por 90 crimes, esteve em prisão preventiva entre março de 2019 e abril de 2020 no estabelecimento prisional anexo à Polícia Judiciária, mas desde então encontra-se num local desconhecido ao abrigo do programa de proteção de testemunhas, estando a colaborar com as autoridades noutros inquéritos.

Para Ana Gomes, o jovem é apenas guiado pelo desejo de "justiça".