Politica

Primeiro-ministro belga faz o oposto de Ferro Rodrigues e lembra: "Sevilha ainda é uma zona vermelha"

Alexander de Croo pediu aos adeptos que se deslocarem a Sevilha para seguirem as regras de segurança, uma vez que a cidade espanhola está agora em alerta. 


Ao contrário do presidente da Assembleia da República, o primeiro-ministro da Bélgica pediu, esta sexta-feira, cautela aos adeptos que vão viajar para Sevilha para assistir ao jogo entre Bélgica e Portugal, uma vez que a cidade espanhola é atualmente uma “zona vermelha” de risco da covid-19.

"Sevilha ainda é uma zona vermelha hoje. Qualquer pessoa que viaje para uma zona vermelha deve respeitar as regras. Eu prefiro ser cauteloso", afirmou Alexander de Croo depois do primeiro dia de reuniões do Conselho Europeu em Bruxelas.

Já Ferro Rodrigues, após o jogo fervoroso entre a seleção nacional e os gauleses na quarta-feira, apelou aos portugueses uma deslocação “massiva” até Sevilha, sendo alvo de críticas pela opinião pública e pelos partidos do CDS, PS e Iniciativa Liberal.

E voltou a apelar, esta sexta-feira, mas desta vez aos deputados do Parlamento, após o final da sessão plenária. "Vamos então terminar a sessão. Agradeço a todos a cooperação prestada e até para a semana. Muito obrigado. Bom fim de semana a todos. Os que puderem em Sevilha, claro", afirmou Ferro Rodrigues.   

O único que saiu em defesa do presidente da Assembleia foi Marcelo Rebelo de Sousa, ao explicar que Ferro Rodrigues “quis dizer é que os que puderem ir, dentro do respeito das regras sanitárias, apela-se a que vão. Os que podem ir ainda são uns milhares de pessoas".

Enquanto do lado do Governo, a ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, disse que “nunca” comenta “declarações de outros órgãos de soberania”.