Sociedade

Alívio de restrições? Só a partir de 1 de outubro

Primeiro-ministro deverá anunciar alívio de restrições esta quinta-feira, depois do Conselho de Ministros. Mas para evitar acusações de "eleitoralismo", novas medidas só deverão entrar em vigor em outubro.


O Governo vai anunciar, esta quinta-feira, o levantamento de várias restrições em vigor devido à pandemia de covid-19. Contudo, este levantamento só entrará em vigor a 1 de outubro por causa das eleições autárquicas, agendadas para domingo.

“Há condições sanitárias para avançarmos com confiança para a nova fase prevista desde julho no plano do Governo, mas não queremos qualquer acusação de eleitoralismo”, disse fonte do executivo, em declarações à agência Lusa, após ser questionada sobre o motivo de as medidas de alívio não entrarem em vigor ainda esta semana, depois de serem aprovadas esta quinta-feira em Conselho de Ministros.

“Estamos a percorrer um amplo conjunto de normas excecionais que foram adotadas em tempos de excecionalidade e que deixam de fazer sentido quando o país caminha para a normalidade”, afirmou a mesma fonte. 

Sublinhe-se que, em Valongo, António Costa disse que “estamos em vias de um momento de viragem, não porque a covid-19 desapareça, mas porque graças à vacinação pode considerar-se a pandemia controlada”. De realçar que este levantamento está previsto para o momento em que o país está perto de atingir 85% da população totalmente vacinada.

A fonte do Governo adiantou ainda à agência Lusa que a obrigatoriedade da máscara em determinados espaços fechados ainda é uma questão em aberto.

“É uma questão a discutir se há uma manutenção da obrigatoriedade, ou se há uma obrigatoriedade em algumas situações, como, por exemplo, nos transportes públicos, ou, ainda, se o uso da máscara é encarado como um dever do ponto de vista cívico”, disse.