Internacional

Emmanuel Macron pede libertação imediata do primeiro-ministro do Sudão

O primeiro-ministro Abdalla Hamdok foi detido e transferido para um local até agora desconhecido

 


O Presidente francês Emmanuel Macron condenou esta segunda-feira a tentativa de golpe no Sudão e pediu a libertação imediata do primeiro-ministro sudanês e de membros civis do governo.

Soldados prenderam a maioria dos membros do gabinete do Sudão e um oficial militar dissolveu o governo de transição, enquanto os opositores da tomada do poder tomaram as ruas onde foram relatados tiros e feridos.

O Primeiro-Ministro Abdalla Hamdok foi detido e transferido para um local até agora desconhecido, após se recusar a emitir uma declaração de apoio ao golpe, afirmou o ministério da Informação, ainda aparentemente sob o controlo dos apoiantes de Hamdok.

O mesmo ministério disse que as forças militares tinham prendido membros civis do Conselho Soberano e ainda membros do governo. Numa declaração enviada à Reuters, apelou aos sudaneses que "bloqueassem os movimentos militares para bloquear a transição democrática".