Internacional

Propostas chinesas para a interconectividade global

Recuperação económica mundial continua a passos lentos, com vários países a enfrentar disparidade de desenvolvimento. A realização da 2ª Conferência das Nações Unidas sobre Transporte Sustentável Global, em Pequim, teve como objetivo procurar resoluções para este problema.


“Devemos adaptar-nos à tendência geral do desenvolvimento mundial e fomentar a cooperação global na área dos transportes para abrir uma nova página histórica de interconexão de infraestrutura, fluência de comércio e investimento e interligações entre as civilizações”, afirmou o Presidente chinês, Xi Jinping, durante a cerimónia de abertura da 2ª Conferência das Nações Unidas sobre Transporte Sustentável Global, realizada através de videoconferência.

Na ocasião, o líder chinês apresentou cinco propostas sobre o desenvolvimento sustentável do transporte global, demonstrando o sentido de responsabilidade que um grande país deve ter.

O transporte é uma pré-condição para o desenvolvimento económico. Atualmente, por causa dos impactos do surto da Covid-19, a recuperação económica mundial continua a passos lentos, com vários países a enfrentar disparidade de desenvolvimento. A realização da 2ª Conferência das Nações Unidas sobre Transporte Sustentável Global, em Pequim, teve como objetivo procurar resoluções para este problema.

As propostas apresentadas pelo Presidente chinês no evento incluem: persistência na abertura e ação coordenada para fomentar a interconectividade; persistência no desenvolvimento conjunto para promover a equidade e benefícios universais; persistência no desenvolvimento motivado pela inovação para aumentar as forças-motrizes do desenvolvimento; persistência na prioridade da área ecológica para concretizar o desenvolvimento verde e de baixo carbono; e persistência no multilateralismo para aprimorar a governança global.

Os conceitos de transporte de alta qualidade respondem à tendência geral do desenvolvimento mundial. A China propôs a interconectividade entre o transporte terrestre, marítimo, aéreo e a internet e apelou ao reforço de investimento em transporte nas zonas mais carenciadas. O objetivo é incentivar a prosperidade comum através da plataforma de desenvolvimento do transporte.

Aquele país também defende a promoção do transporte e das logísticas inteligentes para tornar os setores mais responsáveies em termos ecológicos. A China defendeu ainda o multilateralismo, para injetar mais energia no desenvolvimento sustentável do transporte global e impulsionar os intercâmbios culturais mundiais e o desenvolvimento comum.

Atualmente, a China já se tornou a economia com a maior conexão internacional de transporte marítimo e com o maior volume de comércio de mercadorias do mundo. Nos mais de 200 protocolos de cooperação da iniciativa “Uma Faixa, Uma Rota” firmados entre a China e 140 países e 32 organizações internacionais, a maioria é sobre a colaboração na interconectividade do transporte.

As propostas chinesas para o desenvolvimento do transporte podem permitir que esse setor desempenhe um papel melhor na promoção da interconexão económica e cultural mundial, além de contribuir para o desenvolvimento sustentável global e a construção da comunidade de futuro compartilhado da Humanidade.