Internacional

Indonésia diz que vai empurrar barco com refugiados de volta para o mar aberto

Cerca de 120 refugiados muçulmanos tentavam chegar à Malásia quando seu navio naufragou na costa de Aceh.


As autoridades indonésias disseram que vão empurrar um barco que contém 120 muçulmanos Rohingya de volta às águas internacionais, apesar de temerem que possa afundar-se ao largo da província mais setentrional do país: Aceh.

O barco estava a verter, tinha um motor danificado e corria o risco de virar devido ao clima, segundo disse a agência das Nações Unidas para os refugiados.

"O ACNUR está profundamente preocupado com a segurança e a vida das pessoas a bordo", afirmou, numa declaração na terça-feira. "Para evitar a perda desnecessária de vidas, instamos veementemente o governo indonésio a permitir imediatamente o desembarque em segurança".

O barco foi avistado pela primeira vez por pescadores locais no domingo passado em águas a cerca de 60 milhas (96 quilômetros) da costa de Bireuen, um distrito na província de Aceh, disse Badruddin Yunus, líder da comunidade pesqueira tribal local. Os pescadores disseram que não conseguiram rebocar o barco de madeira quebrado, mas forneceram comida, água e roupas aos passageiros que estavam famintos, incluindo 60 mulheres, 51 crianças e nove homens.

“A condição deles parece fraca, mas boa”, disse Yunus, acrescentando que os refugiados disseram que queriam ir para a Malásia e já estavam no mar por 28 dias antes de o motor do barco partir.

Os comentários estão desactivados.