Desporto

Duelo de portugueses em Old Trafford. Diabos e lobos medem forças

Hoje há duelo lusitano em Old Trafford: o Manchester United recebe o Wolverhampton de Lage e companhia. Em Espanha, Xavi disse que jogo contra Maiorca era “uma loucura”.


O confronto mais aguardado do fim de semana não desiludiu. Ontem à tarde, em Stamford Bridge, o Liverpool não pôde contar com Jurgen Klopp no banco, Alisson, Matip e Firmino, infetados com covid-19. Mas nem por isso se apresentou menos aguerrido. Antes da meia hora, a equipa visitante já vencia por 0-2, com golos dos suspeitos do costume. Aos 9 minutos, Mané aproveitou um erro da defesa do Chelsea para se isolar e bater Mendy. Aos 26 foi a vez de Salah fazer das suas. 

Tudo levava a crer que a visita a Londres ia ser um passeio para os reds. Mas cinco minutos bastaram para o caso mudar de figura. Aos 41 minutos, Kovacic reduziu com um remate de fora da área, num golo de levantar o estádio. E ainda antes de o árbitro apitar para o intervalo, Pulisic fez o empate para a equipa orientada por Thomas Tuchel.

Na segunda parte, a toada não foi menos intensa, mas o marcador já não sofreu alteração. Quem beneficiou do empate em Londres foi o Manchester City, que aumentou a distância, depois de ter vencido o Arsenal no primeiro dia do ano, com um golo de Rodri ao cair do pano (1-2).

O Tottenham, agora orientado por Antonio Conte, também conseguiu vencer fora o Watford, pela margem mínima, e continuar na perseguição aos lugares cimeiros. 

Hoje há duelo de portugueses em Old Trafford: o Manchester United de Cristiano Ronaldo e Bruno Fernandes recebe a armada lusitana do Wolverhampton, liderada por Bruno Lage. Os ‘lobos’ estão a fazer uma campanha fantástica e têm dado muito trabalho às equipas do topo da tabela – na jornada anterior arrancaram um empate frente ao Chelsea.

“Barcelona em situação-limite” Em Espanha, o líder Real Madrid começou mal o ano, com uma derrota surpreendente frente ao Getafe, que mesmo com estes preciosos três pontos continua na 16.ª posição da tabela.

Já o Atlético de Madrid conseguiu pôr fim a uma rara série de quatro derrotas consecutivas para o campeonato, impondo-se ao Rayo Vallecano, com dois golos de Ángel Correa. João Félix, com covid-19, não foi convocado.

Quem também se debate com várias baixas por infeção com o novo coronavírus é o Barcelona. Na antevisão da partida frente ao Mallorca, Xavi queixava-se: “Jogar na situação em que estamos é uma loucura”. O técnico lembrou: “Estamos numa situação-limite; penso que temos entre 17 e 18 baixas, das quais dez no mínimo são por covid”.

Arranque exigente Em Itália, a AS Roma, orientada por José Mourinho, terá um início de ano exigente. Na quinta-feira, dia de Reis, vai ao Giuseppe Meazza defrontar o AC Milan, 2.º classificado, e três dias depois recebe a Juventus, que ocupa a quinta posição da tabela. Se vencer, a Roma pode ultrapassar a Vecchia Signora.

Os comentários estão desactivados.