Politica

Marcelo nomeia constitucionalista Jorge Miranda para presidir às comemorações do 10 de Junho

Dia de Portugal vai ser comemorado em Braga e no Reino Unido. 

Marcelo nomeia constitucionalista Jorge Miranda para presidir às comemorações do 10 de Junho

O Presidente da República nomeou o professor catedrático de Direito Jorge Miranda para presidir à comissão organizadora das comemorações do 10 de Junho deste ano, que se vão realizar em Braga.

“Para a organização das comemorações é constituída uma Comissão presidida por Professor Doutor Jorge Miranda, professor catedrático jubilado da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa”, indica o despacho, datado de 31 de janeiro, e publicado em Diário da República esta terça-feira.

Desta comissão fazem também parte o almirante António da Silva Ribeiro, Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas, Fernando Frutuoso de Melo, chefe da Casa Civil do Presidente da República, o Vice-Almirante Luís de Sousa Pereira, chefe da Casa Militar do Presidente da República, Rita Magalhães Collaço, secretária do Conselho de Estado, o Tenente-General João Vaz Antunes, secretário do Conselho Superior de Defesa Nacional, Ana Cristina Baptista, secretária-geral da Presidência da República, e Clara Nunes dos Santos, Chefe do Protocolo do Estado.

O despacho estabelece ainda que Braga será a “sede das comemorações, em 2022, do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas” e que as comemorações decorrerão também “junto das comunidades portuguesas no Reino Unido”.

Em declarações aos jornalistas, no Palácio de Belém, Marcelo explicou que escolheu Jorge Miranda para presidir às comemorações por ser “um dos pais da Constituição” e natural de Braga.

“É um pai da pátria, é um dos pais da Constituição e, estando nós a aproximar-nos dos 50 anos do 25 de Abril, parecia que era a altura de homenagear nele a geração daqueles que fizeram a Constituição, que arrancaram com a democracia portuguesa através da Constituição”, disse.

O Presidente explicou ainda que Braga era uma das capitais de distrito em que “não havia 10 de junho há mais tempo” e “portanto foi escolhida”.

Já sobre o Reino Unido, Marcelo disse que “era altura de voltar à Europa”.

Recorde-se que, no ano passado, o Presidente da República nomeou a médica Carmo Caldeira, diretora do serviço de cirurgia do Hospital Dr. Nélio Mendonça, no Funchal, para presidir à comissão organizadora das comemorações do 10 de junho. O objetivo era também homenagear os profissionais de saúde, em tempo de pandemia.

Os comentários estão desactivados.