Politica

Ferro complica contas do PS para o Conselho de Estado

Ex-presidente da AR não abdica de ser um dos nomes propostos pelo partido, com Carlos César e Manuel Alegre.


Com o início de uma nova legislatura caem os cinco membros eleitos pela Assembleia da República para o Conselho de Estado, sendo eles Carlos César (PS), Francisco Louçã (BE), Domingos Abrantes (PCP), Rui Rio (PSD) e Francisco Pinto Balsemão (PSD). E, com a maioria absoluta socialista, fica de fora a simpatia de nomear candidatos afetos aos antigos parceiros de ‘geringonça’ para conselheiros do Presidente da República.

Neste cenário, as escolhas de António Costa vão obviamente sofrer alterações, sendo o presidente do PS, Carlos César, o único nome que se mantém. Ao que o Nascer do SOL apurou, é dado como certo que o histórico dirigente socialista Manuel Alegre deverá preencher um dos outros dois assentos nomeados pelo PS. A terceira vaga é que é o busílis. António Costa estaria a preparar-se para propor o nome de Edite Estrela, cuja pretensão à presidência da mesa da Assembleia da República ficará preterida pela opção pelo nome de Augusto Santos Silva.

Porém, o presidente da AR cessante, que, enquanto tal, tinha lugar por inerência no Conselho de Estado, parece não estar pelos ajustes. Ferro Rodrigues, apurou o Nascer do SOL, quer mesmo continuar no Conselho de Estado mesmo que, para isso, tenha de sujeitar-se a ir a votos no novo Parlamento.

Leia o artigo na íntegra na edição impressa do jornal, este sábado nas bancas

Os comentários estão desactivados.