Economia

Combustíveis. Como contornar os preços altos

O Governo está agora intervir neste mercado, mas já antes os consumidores recorriam a vários truques: procurar postos low-cost, optar por combustíveis simples e usar e abusar de cartões.


Os aumentos dos combustíveis não parecem querer dar descanso à carteira dos condutores. As subidas que se registam a partir desta segunda-feira serão moderadas, tendo em conta o que se tem verificado desde começou a invasão da Rússia à Ucrânia. Ainda assim, o preço do gasóleo deverá aumentar quatro cêntimos por litro, enquanto a gasolina deverá permanecer inalterada. Atualmente, o gasóleo simples custa 1,864 euros por litro, segundo os dados da Direção-Geral de Energia e Geologia (DGEG), enquanto o preço da gasolina ronda os 1,948 euros por litro. Com as subidas, deverão passar a custar 1,874 euros e 1,953 euros, respetivamente.

É certo que na hora de abastecer, os condutores são confrontados com valores acima desta média. Apesar destas subidas, o Governo não irá ainda avançar com o desconto temporário do ISP (Imposto sobre os Produtos Petrolíferos) de 4,7 cêntimos por litro de gasóleo e 3,7 cêntimos por litro de gasolina.

Esta foi a solução encontrada para mitigar o impacto da subida do preço dos combustíveis, reduzindo o valor do ISP no montante correspondente ao aumento da receita do IVA, o imposto que é influenciado pelo aumento dos preços. A ideia era criar um mecanismo neutro do ponto de vista fiscal.

 A medida que ainda está em vigor para atenuar a subida dos preços dos combustíveis é o Autovoucher, que a partir de março deu um apoio de 20 euros às famílias e termina no final deste mês. A garantia foi dada pelo secretário de Estado dos Assuntos Fiscais. António Mendonça Mendes revelou que o programa será substituído por “uma medida mais agressiva em termos de descida dos impostos”.

De acordo com os dados do Ministério das Finanças, nos primeiros quatro meses de execução do programa, em que foi disponibilizado um apoio mensal de 5 euros, mobilizou 1,6 milhões de contribuintes, o que levou o Governo a reconhecer que a medida tinha ficado muito aquém das expectativas. Após a subida do bónus para 20 euros, em março, o programa passou a abranger 2,8 milhões de contribuintes.

É certo que os consumidores já estão habituados a estas oscilações no mercado e, como tal, é natural que se multipliquem em ações para conseguirem reduzir o preço a pagar na fatura final. As fórmulas são simples e passam por recorrer a vales de descontos e aos combustíveis simples, e por abastecer em bombas low-cost. Em 2015, o Governo deu um empurrão para ajudar a reduzir a fatura do combustível. Desde essa altura passou a ser obrigatório todos os postos venderem combustíveis simples.

Em teoria, os combustíveis simples são mais económicos do que os normalmente comercializados nos postos de abastecimento, mas a diferença de preço será mínima. Ainda assim, a Apetro tem afirmado que não é possível às petrolíferas praticarem os preços das grandes superfícies “alterando apenas um dos fatores de redução dos preços”, já que a carga fiscal praticada em Portugal tem um peso muito grande no valor final a cobrar ao cliente. Quanto à sua qualidade, a Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor (Deco) garante que “não há nada a temer em relação à qualidade dos combustíveis simples”.

 

Fidelização

Apostar em combustível de marca ainda continua a ser a estratégia seguida pelos portugueses. E a razão apontada para esta escolha é simples: mais quilómetros por depósito, ter descontos e a limpeza do motor são os aspetos considerados mais importantes na escolha de um combustível com aditivos.

A verdade é que as quatro grandes petrolíferas, Galp, Repsol, BP e Cepsa, continuam atentas ao fator que mais pesa na decisão dos consumidores. E se sempre apostaram em cartões de fidelização com pontos que podiam trocar-se pelos mais variados produtos, as petrolíferas tiveram de encontrar promoções alternativas que respondessem à principal aspiração dos clientes: descontos na hora e no preço final. Daí a sua aposta em cartões de desconto.

Outra aposta das marcas é o desconto por dia ou ao fim de semana, a iniciativa que mais impacto tem no aumento das vendas e que até consegue trazer de volta alguns daqueles antigos clientes que foram seduzidos pelas bombas dos supermercados.

 

Cartões de Desconto

BP

Cartões/promoções próprios

• Cartão de fidelização BP Premier Plus

• Cartão de Crédito BP Powerplus

• Campanhas de desconto e pontos que permitem trocar por produtos

 Parcerias

• Pingo Doce (cartão Poupa Mais)

• Sócios do Automóvel Clube de Portugal; Aquashow; 5àSec; ANTRAL; Inatel, entre outros

Novidades

• Os clientes da EDP Comercial que tenham cartão Poupa Mais e abasteçam nos postos BP vão pagar menos pela eletricidade e pelo gás

 

Galp

Cartões/promoções próprios

• Cartão de fidelização Galp+

• Galp frota (profissionais)

Parcerias

• Promoção com o Continente

• Cartão Universo

 

Cepsa

Cartões/promoções próprios

• Cartão de fidelização Cepsa Eu Volto

• Cartão de crédito Cepsa Porque Eu Volto

• Cartão Cepsa Star para profissionais

• Campanhas de desconto e pontos que permitem trocar por produtos

Parcerias

• O cartão DECO+ dá desconto de até 11cêntimos por ltro em gasolina, gasóleo e GPL

 

Repsol

Cartões e promoções próprias

• Cartão solidário

• Cartão para profissionais Solrede

• Campanhas de desconto e pontos que permitem trocar por produtos

Parcerias

• Sócios do Benfica, Porto, Braga e Belenenses

• Clientes da Direct e Ageas Seguros

• Associados do Montepio

• El Corte Inglés, Fnac, Santander

 

Outros truques para poupar

Comparar preços

• Esteja atento às ofertas disponíveis. O preço de hoje poderá não ser o de amanhã e talvez
o posto ao lado pratique valores diferentes. Existem sites que permitem fazer a comparação

Ateste o depósito

• Poupa não só tempo como dinheiro. Com as deslocações extra, vai acabar por gastar mais dinheiro. De preferência abasteça nos períodos mais frescos do dia porque a gasolina está mais densa, logo compra mais por menos.

Conduza devagar

• Conduzir a altas velocidades significa gastar mais combustível. Se o veículo tiver cruise control use-o em autoestrada, porque a condução automática é mais económica.

Tenha a manutenção em dia

• O veículo com a manutenção em dia terá uma performance mais eficaz com consumos menores. Além disso, não se esqueça de verificar a pressão dos pneus, o óleo, os filtros de ar, o alinhamento
da direção, etc.

Estacione à sombra

• Prefira locais com sombra. Estacionar ao sol favorece a evaporação do combustível.

Estude as rotas

• Utilize o computador de bordo (ou o método tradicional de anotar os quilómetros depois
de atestar o depósito) para medir consumos e escolher os percursos mais económicos. No entanto, evite estradas não alcatroadas ou de difícil acesso, pois vias em mau estado podem aumentar o consumo de combustível até 30%.

Os comentários estão desactivados.