Sociedade

Governo português a favor da adesão da Suécia e da Finlândia à NATO

A Suécia pratilha uma fronteira marítima com a Rússia e a Finlândia uma fronteira terreste com mais de 1.300 quilómetros. 


O Governo portugês está a favor do pedido de adesão à NATO por parte da Finlândia e da Suécia. 

Num comunicado enviado às redações, o Ministério dos Negócios Estrangeiros afirma que esta adesão "representará um significativo reforço da Aliança Atlântica" e que o Executivo português se congratula "com a decisão dos Governos da Finlândia e da Suécia, que decidiram solicitar a adesão à Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO)".

OGoverno considera que se trata de uma "decisão democrática e soberana dos dois países que decorre do novo contexto de segurança".

Recorde-se que a primeira-ministra sueca, Magdalena Andersson, anunciou esta segunda-feira que o país se vai candidatar à adesão à NATO, depois da Filândia ter feito esse anúncio no domingo. 

A Suécia pratilha uma fronteira marítima com a Rússia e a Finlândia uma fronteira terreste com mais de 1.300 quilómetros. 

Um dos objetivos da Rússia foi impedir a adesão do país vizinho à NATO e, consequentemente, a expansão da Aliança Atlântica para o Leste da Europa.

Já hoje, Vladimir Putin aasegurou que a entrada da Finlândia e da Rússia para a NATO não serão um problema, a não ser que se inclua a colocação de armas nos territórios destes países. 

 

Os comentários estão desactivados.