Desporto

Derrota caseira afunda britânicos

Itália sofreu uma goleada na Alemanha mas até essa derrota passou ao lado perante uma Inglaterra que sofreu uma das maiores humilhações da história em sua casa.


Está concluída a primeira maratona de jogos da Liga das Nações que preencheu as duas últimas semanas. A prova vai apenas ser retomada em setembro, mas a quarta ronda, a última antes da paragem, ficará para a história com as goleadas sofridas pela Itália e Inglaterra na passada terça-feira.

Do grupo A3 da Liga das Nações saiu uma Alemanha a humilhar a campeã europeia Itália (5-2), enquanto a Hungria levou a Inglaterra à pior derrota em casa em quase um século (0-4).

Em Mönchengladbach, Kimmich abriu o marcador logo aos 10 minutos, contra uma campeã europeia de fora do Mundial 2022. Gundogan ainda conseguiu ampliar a vantagem antes do intervalo, aos 45+4, seguiu-se Müller (51) e um ‘bis’ de Werner (68 e 69).  Os italianos ainda conseguiram minimizar os estragos com tentos de Gnonto (78) e Bastoni (90+4).

Já a seleção inglesa não jogava, com adeptos, em Wolverhampton desde 1956, mas aos 80 minutos os ingleses começaram a abandonar as bancadas às centenas, dada a humilhação, e nova derrota frente aos húngaros, que já tinham vencido em casa por 1-0.

A vitória estava praticamente garantida: Sallai ‘bisou’, aos 16 e aos 70, e Nagy fez o 3-0 aos 80, antes de Gazdag impor a pior derrota caseira em quase um século à Inglaterra, aos 89.

Nas contas, a Hungria vai na frente, com sete pontos, mais um do que os alemães, segundos na classificação do grupo. A Itália soma cinco e a Inglaterra está em risco de ‘descer’, com apenas dois pontos amealhados.

No grupo A4, mais previsível, os Países Baixos tiveram ainda assim de suportar um ‘drama’ nos descontos para derrotar o País de Gales, por 3-2, e seguirem na liderança, com 10 pontos. Golos de Lang (17) e Gakpo (23) deram uma liderança folgada mas que não durou muito, graças a Williams (26), e a um penálti marcado pelo capitão Gareth Bale, aos 90+2, que parecia ‘garantir’ um empate aos galeses. Mas Memphis Depay encontrou caminho para o golo decisivo no minuto seguinte, ao finalizar na área para garantir o triunfo holandês.

A três pontos dos Países Baixos está a seleção da Bélgica, que contou com o defesa do Benfica Vertonghen a titular e com um golo de Batshuayi, aos 16, para voltar a vencer a Polónia.

Os polacos jogampela sobrevivência no principal escalão  em setembro, à ‘custa’ dos galeses, que somam um ponto contra quatro da equipa de Lewandowski.

No grupo B1, a Ucrânia lidera com mais um ponto do que a Escócia, após empatar a uma bola com a Irlanda, que soma quatro pontos. Por seu lado, os escoceses golearam a Arménia (4-1), última com três, e são segundos, com seis pontos.

No B3, é a Bósnia e Herzegovina que comanda, após quatro jogos sem derrotas, tendo batido a Finlândia por 3-2. Montenegro é segundo, a um ponto, depois de ter ido à Roménia vencer por 3-0 o último classificado.

A Turquia está cada vez mais próxima de subir no C1, ao somar a quarta vitória em quatro jogos ante a Lituânia (2-0), que perdeu os jogos todos. Os turcos somam  mais cinco pontos do que o Luxemburgo, segundo após empatar com as Ilhas Faroé (2-2).

No D1, Andorra perdeu por 2-1 com a Moldova. Contudo, apesar do triunfo moldavo, é a Letónia que está quase apurada para o escalão C, após vencer no Liechtenstein por 2-0.

Os jogadores vão agora de férias. A Liga das Nações volta no mês de setembro.

Os comentários estão desactivados.