Sociedade

Avizinham-se "noites tropicais" devido a onda de calor vivida na Europa

No primeiro dia do mês, a estação de Oriola, em Portel, no Alentejo, chegou aos 36,6ºC.

 


A Europa enfrenta novamente uma onda de calor. Na Polónia, por exemplo, a subida das temperaturas chegou acompanhada de tempestades violentas que provocaram queda de árvores, inundações e danos em vários edifícios, acima de tudo, no norte do país. Na sexta-feira, em Helsínquia, capital da Finlândia, estavam 26 graus e, em Portugal, 21.

No entanto, este panorama mudará nos próximos dias, na medida em que o início de julho deverá registar um aumento geral da temperatura em todo o país, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), que alerta que em algumas regiões as temperaturas podem mesmo ultrapassar os 40 graus, como se pode percecionar pela previsão dos valores máximos entre os 35ºC e os 40ºC no Alentejo e no Vale do Tejo.

Apesar disso, nos primeiros dias podem ocorrer aguaceiros e trovoada, em especial no Norte e no Centro de Portugal Continental. “Esta situação deve-se ao surgimento de um fluxo de leste sobre o continente, num padrão meteorológico de bloqueio e que se prevê que persista, pelo menos, na primeira década do mês, resultando em anomalias de temperaturas até 5.ºC em relação aos valores normais”, explica o IPMA.

Importa referir que algumas localidades do país já registaram temperaturas acima dos 35 graus Celsius no primeiro dia de julho, sendo que o registo mais elevado verificou-se na estação de Oriola, em Portel, no Alentejo, que chegou aos 36,6ºC. Sabe-se que estas temperaturas mais altas que os valores normais para esta altura do ano devem-se “ao surgimento de um fluxo de leste” sobre Portugal continental, num “padrão meteorológico de bloqueio” que levará a que o tempo mantenha condições semelhantes durante toda a primeira quinzena.

Já as noites também vão assistir a um aumento de temperatura, com as mínimas a variar entre os 20 e os 22 graus, registando-se assim “noites tropicais nos vales do Douro e do Tejo, e no sotavento Algarvio”.

No decorrer desta semana, aquela que poderá ser a única exceção a esta vaga de calor aguardada para a próxima semana, terá lugar na zona litoral, com Esposende, Apúlia e Fão a não deverem ultrapassar a máxima de 30 graus. Porém, a título de exemplo, os termómetros vão disparar a partir de quarta-feira e nas zonas costeiras do distrito de Viana do Castelo, as máximas vão atingir os 34 graus (em Viana e Caminha) com as zonas do interior a deverem chegar aos 38ºC.

Os comentários estão desactivados.