Sociedade

Chefes da equipa de urgência do Hospital S. Francisco Xavier pedem demissão devido a escala de agosto

Os médicos afirmam que não é possível garantir a segurança da assistência hospitalar. 


Os chefes da equipa de urgência do Hospital de São Francisco Xavier, em Lisboa, vão pedir demissão após o conhecimento das escalas de agosto, que, segundo os médicos, não garantem “a segurança da assistência e cuidados às pessoas” e dos profissionais. Ao final da manhã haverá uma reunião com a administração da unidade hospitalar.

Segundo uma carta dos profissionais de saúde, à qual a CNN Portugal teve acesso, os médicos consideram que a escala de horários apresentada para o mês de agosto coloca em risco “a capacidade de assistência e cuidados às pessoas que recorrem" às urgências do hospital de Lisboa e “a segurança destas e dos profissionais que as assistem". 

Desta forma, os médicos decidiram apresentar “a sua demissão em bloco”. Segundo as escalas publicadas, não há médicos suficientes para assegurar a urgência noturna de medicina interna durante o mês de agosto.

Ainda na mesma carta, o grupo de assistentes hospitalares de medicina interna manifesta o seu "profundo desagrado e indignação face à forma como esta decisão e a sua comunicação foram tomadas", mencionando o planeamento do próximo mês.

A sua reprovação também tem como base o facto de não aceitarem as equipas que “sejam constituídas apenas por um assistente hospitalar (com funções de chefe de equipa) e de um interno de formação geral de 5.º ano equiparado a assistente hospitalar como os seus elementos mais diferenciados".

Para estes, esta composição é "imensamente desadequada, não só perante a afluência diária de utentes ao serviço de urgência, mas também pela necessidade mantida de repartição da equipa médica em dois circuitos", de doentes com queixas respiratórias e não respiratórias. 

Sublinhe-se que o Hospital de São Francisco Xavier é um dos que, na capital, tem sofrido vários constrangimentos na assistência nas últimas semanas. Esta sexta-feira, a unidade hospitalar teve de fechar o bloco de partos às 09:00 por falta de obstetras, reabrindo no sábado à mesma hora. Já no fim de semana, o hospital voltará a encerrar o bloco de partos durante as noites e madrugadas.

Os comentários estão desactivados.