Economia

Taxar sobre lucros inesperados é "sempre uma opção em cima da mesa", diz ministro

"Temos de ter cuidado no desenho das medidas", garantiu o governante durante a apresentação de apoio às empresas no valor de 1400 milhões de euros. 


Para Costa Silva, a hipótese de avançar com um imposto extraordinário sobre as empresas com lucros excessivos “é sempre uma opção em cima da mesa", no entanto, o ministro da Economia lembra que Portugal conta com especificidades no sistema fiscal, nomeadamente a contribuição sobre empresas de energia. "Temos de ter cuidado no desenho das medidas", garantiu o governante durante a apresentação de apoio às empresas no valor de 1400 milhões de euros. 

Também o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais garantiu que "nunca o Governo colocou essa hipótese de parte", acrescentando que "não podemos estar a anunciar simultaneamente medidas de apoio às empresas e falar de taxar empresas".

Mendonça Mendes afirmou também que o Governo vai atuar dentro da margem que tem disponível. "Temos que nos preparar para uma situação que não vai passar rapidamente, é absolutamente estrutural de mudança em relação àquilo que são os preços de energia e esses convocam todos a que tenham que se adaptar a nova realidade", mas remeteu para o próximo Orçamento de Estado o anúncio de "medidas mais estruturais em termos de capitalização". 

Os comentários estão desactivados.