Desporto

FIFA 'trava' uso de braçadeiras LGBT no Mundial e ameaça seleções com sanções

Inglaterra, País de Gales, Bélgica, Dinamarca, Alemanha, Países Baixos e Suíça anunciaram, em comunicado conjunto, que a FIFA “deixou muito claro que imporá sanções desportivas" se capitães "usarem as braçadeiras em campo". 

FIFA 'trava' uso de braçadeiras LGBT no Mundial e ameaça seleções com sanções

A FIFA ameaçou, esta segunda-feira, sete seleções com sanções disciplinares por quererem usar braçadeiras de capitão com as cores da comunidade LGBT nos jogos do Mundial, no Qatar.  

Inglaterra, País de Gales, Bélgica, Dinamarca, Alemanha, Países Baixos e Suíça anunciaram, em comunicado conjunto, que a FIFA “deixou muito claro que imporá sanções desportivas" se os capitães "usarem as braçadeiras em campo". 

"Não podemos colocar os nossos jogadores numa posição em que possam enfrentar sanções desportivas, incluindo cartões amarelos, por isso pedimos aos capitães que não tentem usar as braçadeiras nos jogos do Mundial", diz ainda a nota.  

As federações dos países que queriam apoiar as pessoas homossexuais, que, no Qatar, correm o risco de cumprirem uma pena de até sete anos de prisão, já reagiram.  

“Estamos muito frustrados com a decisão da FIFA, que acreditamos ser sem precedentes. Escrevemos à FIFA em setembro a informar sobre o nosso desejo de usar a braçadeira One Love para apoiar ativamente a inclusão no futebol e não tivemos resposta", lê-se no comunicado conjunto.

 

Os comentários estão desactivados.