Internacional

Grávida condenada à morte deu à luz

A sudanesa de 27 anos que foi condenada à morte por apostasia e adultério deu à luz uma menina na madrugada desta terça-feira.

Meriam Ibrahim foi mãe pela segunda vez, segundo o jornal The Telegraph, que cita os advogados da sudanesa que foi condenada à pena de morte depois de recusar converter-se ao Islão.

A menina nasceu na ala hospitalar da prisão onde a mãe se encontra detida e recebeu o nome de Maya.

Segundo o jornal britânico, nem o marido de Meriam nem os seus advogados foram ainda autorizados a ver a mãe e a bebé.

Meriam tem estado presa juntamente com o filho de 20 meses e, segundo o marido, terá estado sempre acorrentada pelos tornozelos na cela.

A sudanesa foi condenada no dia 15 de Maio por um tribunal islâmico por adultério, já que é casada com um cristão, numa união que não é reconhecida à luz das leis islâmicas. Além disso, Meriam recusou-se a renunciar à fé cristã, motivo pelo qual o tribunal a considerou culpada de apostasia e a condenou à morte.

O caso tem estado a ser denunciado pela Aministia Internacional.

margarida.davim@sol.pt