Politica

PS pronuncia-se ‘no momento próprio’ sobre candidatos presidenciais

O secretário-geral do PS, António Costa, afirmou hoje que o partido se pronunciará "no momento próprio" sobre candidatos às eleições presidenciais, recusando-se a falar "em abstracto" sobre possíveis candidaturas, como a de Sampaio da Nóvoa.

"O PS não se pronuncia antecipadamente nem em abstracto sobre candidatos. Pronunciar-nos-emos no momento próprio, quando houver candidaturas", disse António Costa que falava aos jornalistas no Instituto Superior Técnico, após a apresentação do projecto de reconversão da antiga gare do Arco do Cego num centro académico.

De acordo com o socialista, a prioridade do partido é "preparar as eleições legislativas", nas quais é candidato a primeiro-ministro.

"Quanto às eleições presidenciais em primeiro lugar é uma decisão dos próprios. E em função [...] das candidaturas que surgirem, o PS no momento próprio tomará as suas decisões", frisou António Costa, acrescentando que "é prematuro" falar sobre o assunto.

Na ocasião, o também presidente cessante da Câmara de Lisboa vincou que "o PS não tem por hábito propor candidaturas presenciais, [mas] tem por hábito apoiar candidatos presidenciais" pelo que "é preciso que os candidatos apareçam, surjam, existam" para obter esse apoio.

Considerando que "é normal" que nos próximos meses haja diferentes personalidades a apresentar as suas candidaturas, António Costa sustentou que "o Presidente da República não pode ser um representante dos partidos", mas sim "um cidadão que representa o conjunto de cidadãos".

"Aquilo que está aprovado no congresso do PS é que nós apoiaremos aquela personalidade militante do PS ou da área política do PS que esteja nas melhores condições" para representar os portugueses, defendeu o socialista, referindo-se a antigos Presidentes "prestigiantes" como Ramalho Eanes, Mário Soares e Jorge Sampaio.

Segundo António Costa, "sempre que um Presidente foi eleito com o apoio do PS, [os portugueses] tiveram sempre um Presidente que se puderam orgulhar e, portanto, certamente que o próximo Presidente" também o fará.

Questionado sobre as declarações críticas do membro do secretariado-nacional do PS Sérgio Sousa Pinto em relação a Sampaio da Nóvoa, feitas através da rede social Facebook, António Costa referiu apenas que "o PS felizmente é um partido livre onde cada um pensa pela sua cabeça".

"A direcção do PS ainda não se pronunciou nem se pronunciará tão cedo" sobre as candidaturas, concluiu.

Também presente na ocasião, o antigo reitor da Universidade de Lisboa Sampaio da Nóvoa recusou-se a prestar declarações aos jornalistas sobre a sua possível candidatura à Presidência da República em 2016.

Sampaio da Nóvoa falou apenas no Técnico Learning Center, hoje apresentado, defendendo que este é "grande projecto que está a ser muito bem conduzido e que coloca a cidade e o país no lugar certo, que é lugar do conhecimento, da inovação e do futuro".

"Isso é que é verdadeiramente importante", adiantou.

Lusa/SOL