Economia

CGD. PSD quer ouvir Carlos Costa, Mário Centeno e José de Matos até ao fim do mês

Para o líder parlamentar do PSD, os "últimos dias têm adensado" várias "dúvidas" em torno da "real situação da Caixa.


O PSD anunciou, esta terça-feira, que quer ouvir até final de julho, na comissão de inquérito à Caixa Geral de Depósitos (CGD), o governador do Banco de Portugal (BdP), o ministro das Finanças e o presidente executivo do banco.

"Entendemos que há todas as condições para, ainda até ao final desta sessão legislativa, os trabalhos da comissão poderem iniciar-se com a audição do presidente executivo da CGD, hoje demissionário, do ministro das Finanças e do governador do BdP", declarou Luís Montenegro.

Para o líder parlamentar do PSD, os "últimos dias têm adensado" várias "dúvidas" em torno da "real situação da Caixa e daquelas que são as intenções para uma reestruturação" da entidade.

Ontem foi revelado que o governo teria admitido a saída de 2500 trabalhadores e, esta terça-feira, a informação que a administração liderada por José Matos tinha pedido a demissão a 21 de junho.

A comissão de inquérito, imposta potestativamente por PSD e CDS-PP, tomou posse na Assembleia da República e é presidida pelo deputado social-democrata José Matos Correia.

A comissão de inquérito vai debruçar-se sobre a gestão do banco público desde o ano 2000 e abordará o processo de recapitalização da Caixa Geral de Depósitos, atualmente em negociação com Bruxelas.