Politica

Erro de secretário de Estado mais do que duplicou beneficiários de alívio fiscal. Correção já não foi a tempo

Engano de Pedro Nuno Santos só foi corrigido duas horas depois, muitos alertas já tinham seguido

O secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares Pedro Nuno Santos afirmou que haveria um alívio fiscal, previsto no OE2018, para 3,6 milhões de agregados familiares. No entanto, tudo não passou de um engano corrigido tarde de mais para evitar chamadas de capa nos jornais de hoje.

“Haverá um alívio fiscal para os trabalhadores e estamos a falar de 3,6 milhões de agregados que serão beneficiados com este alívio fiscal, estamos a falar de alguma coisa com significado. Agora tem de ser feito com a necessária responsabilidade que proteja e defenda o próprio orçamento e a medida”, revelou Pedro Nuno Santos, citado pela Lusa, numa notícia disponibilizada por volta das 20h30 de terça-feira, refere o ECO.

Duas horas e muitos alertas incorretos depois, chegou a correção de 3,6 milhões para 1, 6 milhões, o número correto de famílias que sentirá o alívio fiscal previsto no OE2018.

De sublinhar que este alívio fiscal é uma das reivindicações do BE, do PCP e do PEV, parceiro mais à esquerda da geringonça.