Economia

CTT mantêm greve

Paralisação está marcada para a próxima sexta-feira

Os trabalhadores dos CTT vão manter a greve geral marcada para a próxima sexta-feira, dia 23 de fevereiro. Os sindicatos esperam uma boa adesão e acreditam que vão contar com quatro mil trabalhadores de correios na manifestação em Lisboa.

Os sindicatos que convocaram esta paralisação defendem a reversão da privatização dos CTT e um serviço postal universal de qualidade. Além disso, estão contra o fecho de estações de correio em todo o país. De acordo com as suas contas, em causa está o fecho de mais de 40 estações de correio em todo o país, mais do que as 22 inicialmente anunciadas pela empresa.

O protesto parte do Marquês do Pombal, às 14:30, e vai dirigir-se à residência oficial do primeiro-ministro, em São Bento, onde os quatro sindicatos (SNTCT, Sindelteco, Sincor e SINTTAV) entregarão documentos com as suas apreensões.

Recorde-se que, resgatar a atual concessão dos correios implicaria um prazo mínimo de um ano, o que levaria o arranque do processo para 2019.