Internacional

Síria. Ataque militar causa a morte a 26 combatentes

As responsabilidades estão a ser atribuídas a Israel pelo Observatório Sírio dos Direitos Humanos

Na noite passada vários "mísseis inimigos" atingiram posições militares sírias nas províncias de Hama e Alepo, causando a morte a 26 militares, incluindo quatro sírios e vários iranianos, anunciou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos à agência France Presse. 

"Pela natureza dos alvos, é provável tratar-se de um bombardeamento isrealita", disse a ONG. Anúncio corroborado pela Sana, a agência oficial síria, que afirmou que "posições militares" foram atacadas. "Um novo ataque com mísseis inimigos atingiu posições militares", noticiou. 

Se a responsabilidade pelos ataque está a ser atribuída a Israel, o ministro dos transportes, Yisrael Katz, afirmou à rádio militar israelita desconhecer a situação. Ainda assim, Israel ameaçou, pela voz de Avigdor Lieberman, ministro da Defesa israelita, o regime de Bashar al-Assad com bombardeamentos áereos se este continuasse a disparar mísseis contra aviões israelitas. 

O regime sírio acusou, no passado dia 9 de abril, Israel de realizar ataques contra uma base militar síria, causando a morte a 14 combatentes.