Desporto

Portugal com 17 medalhas ao peito

A Seleção nacional teve uma prestação de luxo no Europeu de atletismo adaptado, apresentando um resultado final de sete medalhas de ouro, sete de prata e três de bronze.

«A melhor participação portuguesa de sempre em competições internacionais de atletismo paralímpico». O destaque é feito pela Federação Portuguesa de Atletismo no balanço do Europeu de atletismo adaptado, que decorreu até domingo passado, em Berlim. E não é para menos: afinal, no total, foram 17 as medalhas conquistadas pela comitiva lusa em solo alemão, sete das quais de ouro.

 Luís Gonçalves (200 metros T12), Cristiano Pereira (1500 metros T20), Carolina Duarte (400 metros T13), Carina Paim (400 metros T20), Sandro Baessa (400 e 800 metros T20) e Mário Trindade (100 metros T51/52) foram os responsáveis pelas sete subidas ao lugar mais alto do pódio. 

De sublinhar que, além do ouro, Cristiano Pereira e Carolina Duarte conseguiram ainda estabelecer os recordes de Campeonatos da Europa (com os tempos de 03:55.28 minutos e 56.64 segundos, respetivamente). No caso de Carina Paim, a atleta  alcançou não só o melhor tempo em campeonatos europeus (batendo o recorde anterior de 57,78 segundos, alcançado pela polaca Barbara Niewiedzial, em 2015), como estabeleceu um novo recorde da Europa T20, com o tempo de 57.29 segundos.

Além do ouro, Luís Gonçalves  (400 metros T12)e Carolina Duarte (100 e 200 metros T13) também alcançaram uma medalha de prata. A par do atleta e da velocista portuguesa, Mário Trindade (400 metros T51/400 metros T52), Miguel Monteiro (lançamento do peso F40), Érica Gomes (salto em comprimento T20) e Odete Fiúza (1500 metros T11) também conquistaram o 2.º lugar nas respetivas categorias. Por sua vez, Carlos Freitas (400 metros T20), novamente Luís Gonçalves (100 metros T12) e Maria Graça Fernandes (400 metros T38) asseguraram o bronze.

Luís Gonçalves em destaque

Com uma medalha de ouro, de prata e de bronze, Luís Gonçalves foi o atleta português em destaque na prova de Berlim. Na chegada a Portugal, porém, o atleta garantiu que quer ir ainda mais longe: «No próximo ano, nos Campeonatos do Mundo, vou dar 2000% e tenho a certeza que vou ter sucesso. Vou fazer o que o Cristiano Ronaldo disse, provar que um jogador ou um atleta, depois dos 30 anos, pode fazer o que os mais novos podem», declarou.

Por sua vez, Carolina Duarte espera que o feito conseguido pelo grupo consiga motivar os jovens a praticar mais desporto mesmo que não seja a nível competitivo. 

«Conquista notável»

«Dezassete medalhas é uma conquista notável! Muitos parabéns a todos e obrigado, em nome de Portugal e dos portugueses!», lê-se numa mensagem de Marcelo Rebelo de Sousa, divulgada no site da Presidência da República após a conquista.

Na mensagem dirigida aos 23 atletas portugueses e respetivos Parceiros de Competição, Parceiros Não Competitivos e Técnicos Assistentes Desportivos que participaram no Campeonato da Europa, o Presidente da República agradece ainda em nome de todos os portugueses «o esforço e empenho» colocados «naquela que foi «a melhor participação portuguesa de sempre em competições internacionais de atletismo paralímpico».