Politica

Costa elogia "transparência" do Governo angolano acerca das dívidas a empresas portuguesas

Para o primeiro-ministro as declarações do ministro das Finanças de Angola demonstram a criação de “um bom ambiente de negócios” 

Em visita oficial a Angola, António Costa elogiou esta terça-feira a forma como o Governo angolano aborda a questão das dívidas a empresas portuguesas e o calendário definido, até novembro, para o apuramento do volume global por regularizar. Na opinião do primeiro-ministro as questões são abordadas com “transparência”.

As palavras de António Costa surgiram depois de o ministro das Finanças de Angola, Archer Mangueira, estimar que os “atrasos” a empresas portuguesas se situam nos 90 milhões de euros. Estes já foram assumidos pelas autoridades de Luanda.

Archer Mangueira referiu ainda que haverá também cerca de 300 milhões de euros de dívida a empresas portuguesas que estão ainda por ceritificar, mas que estes não foram contraídos devido às normas orçamentais.

Para o primeiro-ministro estas declarações demonstram a criação de “um bom ambiente de negócios” e de “confiança”, garantindo ainda que “o investimento angolano é bem-vindo” em Portugal.