Politica

“Queremos um Portugal mais ambicioso”. Marcelo defende país inovador

Presidente da República diz que não baste ter vencido a crise.

Ontem à noite, Marcelo Rebelo de Sousa disse que não basta que Portugal tenha vencido a crise, tendo afirmado que é preciso que o país seja social, económica, científica e tecnologicamente mais inovador.

"Queremos um Portugal mais ambicioso. Não basta termos vencido a saída da crise. Não nos basta o sentirmo-nos corajosos na forma como lidamos com essa crise. Queremos estar mais e melhor na Europa e no mundo", disse o Presidente da República à margem do discurso de enceramento da cerimónia do Prémio Manuel António da Mota, no Porto.

"Portugal sustentável significa um Portugal que cresça mais, significa um Portugal com mais justiça social, significa um Portugal socialmente mais coeso, mais inclusivo, mas significa também um Portugal mais inovador, socialmente mais inovador, economicamente mais inovador, educacionalmente mais inovador, científica e tecnologicamente mais inovador. Um Portugal virado para o futuro", acrescentou o chefe de Estado.

Além disso, Marcelo Rebelo de Sousa relembrou que foi o tecido social que, durante a crise, aguentou o país respondendo às necessidades das pessoas durante aquele período. "Há 31 mil coletividades e há 61 mil entidades de economia social, multiplicados por todos os que estão envolvidos estamos a falar em 800 ou 900 mil pessoas. Este tecido social foi o que aguentou nos períodos de crise. Foi um tecido social essencial para a proximidade das pessoas em conjunto com as autarquias, para acorrer ao material e outras vezes ao imaterial ou espiritual, mas que não deixa de ser muito importante", sublinhou.