Sociedade

PR diz ser “totalmente alheio” a envolvimento de namorada no BES

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, reagiu hoje ao envolvimento da sua namorada, Rita Amaral Cabral, no BES.

O Presidente da República reagiu hoje à notícia do envolvimento da sua namorada, Rita Amaral Cabral, no BES. No entanto, em declarações ao Correio da Manhã, o chefe de Estado admite ser “totalmente alheio” a esta investigação.

Como noticia o SOL na edição deste fim de semana, nas últimas semanas, no âmbito de uma oposição feita pelo arguido José Manuel Espírito Santo ao arresto de duas casas, várias testemunhas, questionadas pelo juiz Carlos Alexandre, apontaram o dedo à Comissão de Partes Relacionadas.

Este órgão foi criado em 2014 por determinação do Banco de Portugal, com o objetivo de avaliar se os produtos tinham ou não idoneidade e evitar colisão de interesses entre empresas do GES - um grupo que tinha 164 sociedades. E é aí que surge o nome de Rita Amaral Cabral, namorada de Marcelo Rebelo de Sousa, que, além de administradora não executiva do BES, fazia parte da Comissão de Partes Relacionadas juntamente com Joaquim Goes (presidente) e Horácio Afonso.