Economia

Poder de compra desce em Portugal em 2017

Segundo o relatório do INE, Portugal surge em 16.º lugar da lista da Zona Euro, a trás da Estónia e Lituânia

Portugal perdeu poder de compra entre 2016 e 2017, fixando-se em 76,6% da média da União Europeia, o que representa o 16.º lugar entre os países da Zona Euro, segundo divulgou esta quinta-feira o Instituto Nacional de Estatísticas (INE).

Em 2016, Portugal tinha registado um poder de compra de 77,2% da média da União Europeia. Quando a comparação é feita ao nível do Produto Interno Bruto (PIB) ‘per capita’ expresso em Paridades de Poder de Compra (PPC), 2017 apresenta também uma redução de 0,8 pontos percentuais quando comparado com o ano anterior.

Entre a Zona Euro – que inclui 19 países – Portugal ocupa o 16.º lugar numa lista liderada pelo Luxemburgo e que tem a Bulgária em último lugar. Segundo o INE, a dispersão entre os países é “muito significativa”, uma vez que o Luxemburgo tem 253% da média da União Europeia e a Bulgária tem 49,3% (cerca de cinco vezes menos).

Portugal surge abaixo da Estónia (78,8%) e da Lituânia (78,4%) e à frente da Eslováquia (76,2%), Grécia (67,2%) e da Letónia (66,8%).

No entanto, no que toca à despesa de consumo individual ‘per capita’ (DCIpc), Portugal surge numa posição superior, aparecendo no 13.º lugar da lista dos países da Zona Euro. Em 2017, o DCIpc medido em paridades de poder de compra ficou-se nos 82,2% da média da União Europeia, praticamente o mesmo valor registado no período homólogo. Segundo o INE este indicador é o mais apropriado para caracterizar o bem-estar das famílias.

Em termos nominais, o PIB ‘per capita’ de Portugal cresceu 4,6% entre 2016 e 2017, o que se justificou pelo aumento nominal do PIB (4,6%) e pelo decréscimo da população (-0,24%).

No comunicado do INE, os resultados deste relatório "devem ser analisados com prudência, particularmente em termos de evolução temporal, uma vez que ao longo do tempo verificam-se alterações de diferente natureza, nomeadamente ao nível da seleção do cabaz comum de bens e serviços em comparação, dos métodos e fontes dos preços utilizados no exercício PPC e da substituição de valores preliminares por definitivos da contabilidade nacional".