Sociedade

‘Facilitador’ terá comprado funcionários do SEF com bilhetes para o Benfica e almoços

Em troca recebia informação privilegiada

P. Lai, conhecido como um facilitador para a atribuição de vistos de residência em Portugal, vai ser julgado pelos crimes de corrupção passiva, recebimento indevido de vantagem, falsificação de documentos e auxilio à imigração ilegal. Em causa está a compra de funcionários do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras em troca de informações privilegiadas.

Segundo a notícia avançada pelo Jornal de Notícias, durante dois anos, P. Lai terá conseguido subornar funcionários do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) com bilhetes para os jogos do Benfica, almoços e consertos de carros. Em troca recebia informação privilegiada que lhe permitia contornar a lei e resolver vários casos relacionados com a obtenção e renovação de visto de residência em Portugal.

Por cada caso resolvido, o facilitador receberia cerca de 600 euros, indica o mesmo jornal, acrescentando que P. Lai arranjava clientes junto da comunidade chinesa, uma vez que era fluente em mandarim.